Relação Médico-Paciente / Regras frequentemente esquecidas

Atualizado: 1 de fev. de 2021

por Dr. Osvandré Lech

Médico Ortopedista e Escritor

Vice-presidente da Academia PF de Medicina

Presidente Conselho Mundial Cirurgia do Ombro e Cotovelo


Algumas regras simples são esquecidas com frequência na arte da relação médico-paciente. Lembrar - ou relembrar - de algumas delas pode melhorar esta relação dinâmica. Mais do que isto, permite geralmente uma curva ascendente de ganho. Experimente as três regras abaixo e observe a diferença para melhor quase que imediata.


1. Pacientes querem “entender melhor” o tratamento - a multimídia mudou para sempre o limite de informações necessárias para satisfazer a curiosidade de todos nós. O cinema em 3D (o GPS (global positioning system) e o holograma maravilham os nossos sentidos. Entende-se então o motivo por que nossos pacientes já não se satisfazem com longas descrições verbais sobre determinado procedimento ou tratamento. Você se contentaria com um evento médico baseado exclusivamente em discursos, sem imagens, sem área de exposição? É preciso informar com melhor didática. E com imagens. Utilize um livro com ilustrações, um vídeo com partes do procedimento. Nosso paciente tem o direito de receber informações com a mesma qualidade que recebe ao ligar a televisão ou acessar um site.


2. Informar sobre o tempo de cura - a sensação de “desconhecimento sobre a minha cura” está mais presente ao longo de um tratamento do que imaginamos, criando angústia e “infantilização” nos pacientes. Não raro dedicamos horas a fio num complexo procedimento e exultamos quando o resultado final é satisfatório. Na pressa, não transmitimos aos pacientes esta sensação de alívio e de boa expectativa sobre a sua cura, como se bastasse que apenas nós soubéssemos que tudo correu bem e a cura está assegurada. Perdemos assim uma excelente oportunidade de proporcionarmos tranquilidade e estabelecermos de vez uma relação baseada em confiança e admiração. Informe sobre o passo-a-passo a seguir desde o procedimento até a alta definitiva. O “timing” é importante para nossos pacientes.


3. O tempo de um telefonema significa mais que o do procedimento - Um simples telefonema no período pós-operatório ou ao longo de um tratamento extenso pode representar tranquilidade e adesão às orientações bem maior do que você imagina. A alegria de “receber um telefonema do meu doutor” tem grande impacto positivo na relação de confiança. Dedique alguns minutos da sua agenda para conversar por telefone com seus pacientes. Estimule-o. Cumprimente-o pelo progresso obtido. Entusiasmo representa boa parte da cura, como sabemos.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo